Aquisição estratégica para sua empresa: coloque na pauta!

2017, apesar de requerer cautela, ainda será um ano de oportunidades para a compra de ativos para sua empresa com preços atrativos

Aquisição estratégica para sua empresa: coloque na pauta!
19 de abril de 2017 imeri

Marcado por uma intensa volatilidade nos cenários político-econômico mundial (eleições norte-americanas e Brexit) e brasileiro, o ano de 2016 apresentou queda de 21% nas fusões e aquisições de empresas anunciadas no Brasil de janeiro a outubro1. As incertezas políticas contribuíram para que algumas empresas permanecessem em compasso de espera na realização de movimentos importantes no último ano.
A potencial retomada da confiança, impulsionada pela queda da inflação e taxa de juros que vêm se concretizando, tende a contribuir para a melhoria da perspectiva da atividade econômica neste ano de 2017. Portanto, o cenário atual aliado a perspectiva, apresenta-se como grande oportunidade para aquisição de ativos (empresas, portfolio de produtos, força de vendas, etc.) cujos preços ainda tendem a ficar abaixo dos verificados em períodos de crescimento econômico e abundância de capital.

Algumas empresas se adiantaram neste contexto. Eficazes em sua gestão, estrutura de capital adequada e capacidade de investimento, elas encontram-se preparadas para realizar aquisições estratégicas visando a posição de vanguarda no período de retomada que se aproxima.
Para o empresário, como exercício prévio a um movimento estratégico, é necessário desenhar o objetivo da transação. Tal objetivo, claro, deve ter aderência à estratégia e posicionamento da companhia. Deve-se entender, portanto, para onde a empresa pretende se movimentar dentro de sua (1) cadeia de valor (tabela 1.0). Alinhado a este entendimento, também é necessário olhar para dentro e entender quais habilidades e recursos devem ser melhor desenvolvidos, de forma a alcançar a estratégia de médio-longo prazos da companhia. Caso não seja possível desenvolvê-las de forma orgânica, o próximo passo é avaliar o desenvolvimento desse (2) objeto de maneira inorgânica, seja ele o (A) ganho de mercado, (B) aquisição de nova tecnologia e/ou (C) recursos humanos valiosos para a organização. (Vide tabela 1.0).

A Imeri já assessorou e concluiu transações de compra de ativos (buy-side), alcançando os objetivos esperados por seus clientes. Estamos aptos a assessorar o empresário de qualquer setor antes e durante a implementação da aquisição e garantir que a transação seja um sucesso do início ao fim. Se tiver interesse em conversar sobre aquisições, entre em contato com a Imeri.

1Fonte: PWC Fusões e Aquisições no Brasil – Out/2016